domingo, 29 de agosto de 2010

Soco, nocaute... Fênix!


Um super soco bem na boca do estômago! Essa é a descrição dos meus primeiros tempos em Sampa.
Tonteei, cai no chão...
E pensei inúmeras vezes em dar meia volta e ir chorar nos colos recifenses da família.
  Nem vou contar tudo, é uma novela mexicana com trilha sonora de bolero!
Basta dizer, que no começo eram seis horas de trânsito por dia. Dormia, e era hora de acordar! Oito horas no hospital,  um andar com 35 pacientes pra tomar conta. Frio, chuva...
A inspiração sumiu. Meses sem escrever uma linha. 
Teve um dia em que falei: "Desisto! Entrego os pontos. Isso não é pra mim. Vou voltar... "
Mas é nessas horas em que Deus envia os anjos.
E o anjo "Ana Cris"  psicologa de mão cheia, botou moral, como se fala lá em Recife, e disse:
-Daqui você não sai!
E eu fiquei.
E os milagres começaram a acontecer: Me mudei. A cidade começou a se tornar menos inóspita. As amizades ficaram mais sólidas. E estou aqui...
Finalmente feliz!
Meus olhos brilham de novo...


Ps.:  Uma antiga professora,  há exato um ano atrás, disse pra mim: "Você é Brasileira e Assistente Social, portanto, não desiste nunca!"
Eu não deisisti dessa vez. Mas foi por pouco...

4 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Meu blog mudou de endereço, o novo é:
http://vemcaluisa.blogspot.com/
:)

Valéria Martins disse...

Querida Adriana, estava para te escrever faz tempo... O seu resumo no post dá uma idéia das dificuldades da adaptação. Mas passou, né? O pior já foi!

Que bom, querida!

Quanto às nossas avós, sim, fazer doces era a maneira da minha demonstrar amor também. Uma das maneiras.

Grande beijo, vamos voltar a nos visitar nos blogs!

Carolina disse...

Ai Adri,que bomque passou.
Senti sua falta por estas bandas,mas aguardei seu retorno.

Já vivi e é muito normalna curva das mudanças agirmos inconscientemente de forma de que primeironegamos,depois resistimos,até que começamos a entender que as mudanças não são ameaças,mas convites a outras oportunidades de (re)evolução interna.

Quando passamos pela provação,nos orgulhamos de nós e o universo começa a comungar conosco.

Que bom que você encontrou pessoas legais no meio do caminho,é o que faz toda a diferença.

Um beijo e muita fé na vida!

Ana Cristina disse...

Eu nunca fiz nada... Apenas como uma lanterna iluminei um pouco do caminho que estava escuro, para que você visse que ainda pode caminhar.. E que as respostas e saídas, não estavam em ninguém e nem em nada.. Mas primeiramente em Deus que te ama tanto, e em segundo, dentro de você mesma.. Sinto orgulho de te ver crescer como pessoa!!! É apenas o começo da tua história que com certeza não acaba aqui.. Deus te abençoe!! Bjusss